Rudimento: Buzz Roll

Olá para todos os entusiastas do blog musical CAVERNADOLENHADOR.

brincalhões

O buzz roll ou rulo sinfônico está catalogado pela Percussive Arts Society (PAS) como um dos 40 rudimentos essências para um baterista praticar. Ele é um rudimento usado como artifício para prolongar o som em instrumentos de percussão, tendo seu maior uso em músicas eruditas. Contudo, em gêneros populares como o jazz e samba ele também é bastante usado devido a sua sonoridade peculiar.

O rulo sinfônico consiste em toques múltiplos alternados, diferentemente do rulo aberto, conhecido como double stroke roll, o qual consiste em toques duplos alternados. Sua escrita é feita com 3 traços cortando a haste da nota.

buzz roll.png

Para desenvolver um bom rulo sinfônico é necessário primeiro praticar ele lentamente, tornando possível sentir o melhor ponto onde a baqueta repique diversas vezes. O melhor dedo para isso é o dedo médio. Um erro comum em iniciantes é apertar a baqueta com o polegar e o indicador e pressiona-la contra a superfície. Essa forma de segurar as baquetas gera tensão nos músculos tornando possível o surgimento de lesões, além de que o controle do rebote e da dinâmica são perdidos.

Lembre-se que ele deve ser praticado sempre em superfícies que possam proporcionar o rebote da baqueta.

Comece praticando ele livremente, sem metrônomo e sem pensar nas subdivisões. É importante que, em primeiro lugar, o estudante sinta a baqueta repicar na superfície.

Quando sentir-se confortável pratique os seguintes exercícios:

rulo sinfônico ou buzz roll.jpg

 

Tenha em mente que para o rulo ter uma sonoridade interessante é necessário que os movimentos sejam desiguais, ou seja, evite o uso de movimentos de pulso baseado em figuras pares. Alterne os movimentos em figuras de tempo ímpares com figuras de tempo pares, sem acentuar o início de cada tempo.

Imagem (4)

 

Referente a dinâmica do rulo, quanto menor o movimento de pulso usado para executá-lo mais baixo será o som (vice-versa). Então, quando for executar rulos em piano deve-se usar poucos movimentos de pulso, enquanto para rulos fortes deve-se usar muitos.

A seguir exercícios de rulos em crescendo e decrescendo:

buzz roll ou rulo sinfônico

 

Caso tiver interesse em mais exercícios de rulo sinfônico, aconselho a adquirir o livro “Método Completo para Caixa-Clara”, do Ney Rosauro.

Desejo-lhes bons estudos!

eu

– RUDIMENTOS –

Buzz Roll

Single Stroke Roll

Double Stroke Roll

Paradiddle

 

Exercícios com ostinato de jazz junto com colcheias pontuadas e semicolcheias

Olá para todos os entusiastas do blog musical CAVERNADOLENHADOR.

Capturar

Ao longo da história da música ocidental os compositores obtiveram grandes avanços no que diz respeito aos aspectos melódicos e harmônicos da música. Contudo, quanto ao aspecto puramente rítmico, as grandes obras de compositores renomados aparentam ser simples e ingênuas perto de músicas de povos considerados por alguns, não civilizados. Como por exemplo, certas tribos africanas possuem músicas com ritmos distintos executados ao mesmo tempo por dois ou mais percussionistas. Já nas ilhas do leste da Índia, algumas crianças treinadas nas danças nativas são capazes de executar polirritmias como o 5:4 (cinco contra quatro), consideradas extremamente complexas para as pessoas habituadas com as músicas ocidentais.

Foi devido a abolição da escravatura que conceitos rítmicos mais arrojados foram inseridos na música ocidental. Na América do Norte, a troca cultural entre povos colonizadores e os recém libertos africanos foi o propulsor para o surgimento do jazz, um estilo musical que tem como característica o uso de ritmos complexos, onde a síncope e a polirritmia se faz bastante presente.

O livro “Advanced Techniques for the Modern Drummer” do renomado baterista Jim Chapin, contém exercícios para auxiliar o baterista adquirir um vocabulário rítmico mais rico e para desenvolver a capacidade de tocar ritmos distintos ao mesmo tempo com os diferentes membros do corpo. Caso os leitores possuírem interesse em se aprofundar mais nos conhecimentos passados por esse grande baterista, aconselho a comprarem o livro.

Os exercícios abordados nesta publicação consistem em frases rítmicas com colcheias pontuadas e semicolcheias juntamente com ostinato de jazz, as quais são importantes para o baterista que possui o interesse em ingressar no jazz e nas suas vertentes. Para facilitar a leitura, nos primeiros exercícios o autor inseriu linhas pontilhadas entre as notas que são executadas ao mesmo tempo.

Colcheias pontuadas 1Colcheias pontuadas 2Colcheias pontuadas 3Colcheias pontuadas 4Deve-se ter em mente que para soar musical, o praticante deve tocar de forma relaxada, sem se preocupar em adquirir velocidade. É aconselhado o uso do metrônomo apenas quando estiver conseguindo tocar confortavelmente as frases rítmicas. É interessante também fazer os exercícios com os outros membros além da mão direita e esquerda, como por exemplo, linha de cima pé esquerdo e linha de baixo pé direito (vice-versa), ou  linha de cima mão direita e  linha de baixo pé esquerdo (vice-versa).

Desejo-lhes bons estudos!

eu

Rudimento: Double Stroke Roll

Olá para todos os entusiastas do blog musical CAVERNADOLENHADOR.

brincalhões

O Double Stroke Roll é um dos 40 rudimentos catalogados como essenciais para um baterista praticar. Conhecido também como open roll (rulo aberto), ele consiste em toques duplos alternando as mãos, permitindo que o baterista consiga executar toques em velocidades superiores com maior facilidade do que com o Single Stroke Roll. Contudo, o uso do Single Stroke Roll e do Double Stroke Roll são diferentes pelo motivo que mesmo executado de forma à deixar os toques duplos parelhos a sonoridade do Double Stroke é diferente da do Single Stroke. Exemplo de Double Stroke Roll: DDEE DDEE.

Deve-se ter em mente quando praticar o Double Stroke Roll que a sua sonoridade deve ser bem definida, sem sujeira, como com os outros rudimentos, porém devido ao fato que o Double Stroke é um rudimento difícil de executar (principalmente para iniciantes), eu prefiro avisar aos leitores novamente sobre tal cuidado.

Da mesma maneira que os exercícios básicos de Single Stroke Roll, é interessante que o Double Stroke Roll seja praticado sobre as subdivisões rítmicas para que o baterista adquira as noções delas. Quando praticá-las procure acentuar a primeira batida, pois a acentuação auxilia na memorização da subdivisão. Exemplo em tercinas: UM, dois, três, UM, dois, três…



Não tenha vergonha e conte em voz alta! O UM é sempre o beat do metrônomo.

D = Mão direita; E = Mão esquerda

Semínima. Em um compasso n/4 cada batida em semínima equivale a um beat inteiro (n deve ser entendido como um número arbitrário, ou seja, qualquer número). Contagem: 1(D) 1(D) 1(E) 1(E)…

Colcheia. Equivale a meio beat. Contagem: 1(D) 2(D) 1(E) 2(E)…

Tercina. Equivale a 1/3 de beat (ver quiálteras). Contagem: 1(D) 2(D) 3(E) 1(E) 2(E) 3(D)…

Semicolcheia. Equivale a 1/4 de beat. Contagem: 1(D) 2(D) 3(E) 4(E) 1 (D) 2(D) 3(E) 4(E)…

Quintina. Equivale a 1/5 de beat. Contagem: 1(D) 2(D) 3(E) 4(E) 5 (D)  1(D) 2(E) 3(E) 4(D) 5 (D)…

Sextina. Equivale a 1/6 de beat. Contagem:  1(D) 2(D) 3(E) 4(E) 5 (D) 6(D) 1(E) 2(E) 3(D) 4(D) 5 (E) 6(E)…

Septina. Equivale a 1/7 de beat. Contagem: 1(D) 2(D) 3(E) 4(E) 5(D) 6(D) 7(E) 1(E) 2(D) 3(D) 4(E) 5(E) 6(D) 7(D)…

Fusas. Equivale a 1/8 de beat. Contagem: 1(D) 2(D) 3(E) 4(E) 5(D) 6(D) 7(E) 8(E) 1(D) 2(D) 3(E) 4(E) 5(D) 6(D) 7(E) 8(E)…

Aconselho praticar lentamente (em torno de 60-70 BPM), para então ir gradativamente acelerando. Apenas aumente a velocidade quando estiver executando o rudimento dentro das subdivisões confortavelmente em velocidade lenta. Em subdivisões mais altas, como a fusas, é necessário desenvolver um controle maior do rebote gerado pela batida da baqueta na superfície. Técnicas para o controle dos dedos (Finger Control) auxiliam o baterista na busca de velocidade.

Quando praticar rudimentos procure usar baquetas pesadas ou baquetas sem pontas, pois elas auxiliam no fortalecimento dos músculos da mão e do antebraço, e no controle da baqueta. Não toque com os braços rígidos, isso limita o desenvolvimento da velocidade e pode ocasionar lesões como a LER.

Faça os exercícios começando com ambas as mãos.

Não esqueça de usar a criatividade quando estiver na bateria!

Desejo-lhes bons estudos!

eu

– RUDIMENTOS –

Buzz Roll

Single Stroke Roll

Double Stroke Roll

Paradiddle

Teoria Musical: Leitura em Clave Neutra

Olá para todos os entusiastas do blog musical CAVERNADOLENHADOR.

brincalhões


Nesta publicação abordarei um assunto referente a teoria musical: a leitura em clave neutra. Para o estudo das claves de Sol, Fá e Dó aconselho para o leitor dirigir-se à primeira publicação da série Teoria Musical do professor Christian Beschizza sobre leitura: Teoria Musical I: Leitura.

A definição das claves no início de cada sistema tem como finalidade determinar a disposição das notas na pauta. Contudo, o que diferencia a clave neutra das outras é que quando ela está definida os símbolos não são entendidos como notas musicais com altura, e sim, são entendidos como peças. Inclusive, em algumas situações onde há clave neutra, a pauta pode possuir uma ou duas linhas onde as proposições rítmicas são escritas, podendo equivaler o instrumento que o compositor desejar, como por exemplo: palmas, batidas nos joelhos, etc.

Clave neutra.

Na imagem a seguir estão as definições das peças no pentagrama.

15-1

  • BD: Bumbo (Bass Drum)
  • 2nd BD: Segundo bumbo (Second Bass Drum)
  • SN: Caixa (Snare)
  • CS: Aro (Cross Stick)
  • T1: Tom agudo ou primeiro rack tom-tom (High Tom ou Rack Tom-Tom 1)
  • T2: Tom médio ou segundo rack tom-tom (Medium Tom ou Rack Tom-Tom 2)
  • FT: surdo (Floor Tom-Tom)
  • HH: chimbal (Hi-Hat)
  • Ride: condução (Ride Cymbal)
  • o: Chimbal aberto (Open Hi-Hat)
  • +: Chimbal fechado (Closed Hi-Hat) [usado apenas houver padrões de chimbal aberto]
  • o com um traço na diagonal: Chimbal meio aberto (Half Open Hi-Hat)
  • HH Ft.: Pedal do chimbal (Hi-Hat Foot)
  • Bell: Cúpula do prato de condução (Bell of the Ride Cymbal)
  • R CR: Prato de ataque na direita do baterista(Right Crash Cymbal)
  • L CR: Prato de ataque na esquerda do baterista (Left Crash Cymbal)

Desejo-lhes bons estudos.

eu



Interdependência dos Membros Com Tercinas

O aperfeiçoamento do músico para com o seu instrumento vem através da disciplina e prática, isso acontece o mesmo com qualquer outra faculdade da mente e do corpo. Como cada ser é único, deve-se ter conhecimento que há diferentes metodologias de ensino visando melhor aproveitamento do estudante, entretanto, não significa que o caminho para o aperfeiçoamento é fácil e sem frustrações. Para desenvolver a técnica e sua aplicação é necessário desenvolver a audição e a percepção, a prática de rudimentos avulsa do objetivo final, a musicalidade, irá fazer com que o efeito desejado não se materialize.

Hoje serão abordados exercícios de interdependência dos membros, lembrando que só é adquirido interdependência através da constante prática.

Os exercícios que irei passar serão executados em cima de padrões de tercina na caixa e no bumbo, a diferença em cada exercício estará nos padrões de condução e no pedal do hit-hat.

OBS: Os exercícios podem ser executados também com o pedal do hit-hat acompanhando a tercina ou a colcheia.

 

1)

 

 

 

2)

 

 

 

3)

 

 

 

4)

 

 

 

 

Os exercícios abaixo têm um grau de dificuldade maior que os anteriores, pois misturam padrões de colcheia e tercinas.

 

5)

 

 

 

6) – Aqui o pedal do hit-hat será acionado no contra-tempo, ou seja, no E da colcheia. (Contagem 1 E, 2 E, 3 E, 4 E, 1 E, …).

 

 

 

7)

 

 

 

 

Para executar esses sete exercícios é necessário um grau de interdependência bastante avançado, por isso estude e analise as subdivisões de tempo. Não se esqueça de colocar o exercício em prática, ou seja, improvisando ou achando o melhor momento para executá-la em um Jam.

Daqui uns dias atualizarei o post com vídeos meus executando esse exercício!

Abraços! Até mais.

Rudimento: Paradiddle

Olá para todos os entusiastas do blog musical CAVERNADOLENHADOR.

brincalhões

O paradiddle é um dos 40 rudimentos catalogados pela Percussive Arts Society (PAS) como essenciais para um baterista/percussionista. Ele consiste em toques simples (Single Stroke) e toques duplos (Double Stroke) em uma velocidade constante. Segundo o PAS, o paradiddle está cituado em 3 categorias de rudimentos: Diddle Rudiments, Drag Rudiments e Flam Rudiments.

Diddle Rudiments

D = direita; E = esquerda.

  • Single Paradiddle: consiste em dois toques simples e um toque duplo. Ex: DEDD EDEE.
  • Double Paradiddle: consiste em quatro toques simples e um toque duplo. Ex: DEDEDD EDEDEE.
  • Triple Paradiddle: consiste em seis toques simples e um toque duplo. Ex: DEDEDEDD EDEDEDEE.
  • Paradiddle-Diddle: consiste em dois toques simples e dois toques duplos. Ex: DEDDEE DEDDEE.

Flam Rudiments

O flam será representado por eD ou dE.

  • Flam Paradiddle: consiste em um flam, um toque simples e um toque duplo. Ex: eDEDD dEDEE.
  • Flam Paradiddle-Diddle: consiste em um flam, um toque simples e dois toques duplos. Ex: eDEDDEE eDEDDEE.

Drag Rudiments

O drag será representado por eeD ou ddE.

  • Single Dragadiddle: consiste em um drag, um toque simples e um toque duplo. Ex: eeDEDD ddEDEE.
  • Drag Paradiddle #1: consiste em um toque simples, um drag, um toque simples e um toque duplo. Ex: DeeDEDD EddEDEE.
  • Drag Paradiddle #2: consiste em um toque simples, dois drags, um toque simples e um toque duplo. Ex: DeeDeeDEDD EddEddEDEE.

Há outras váriações interessantes de paradiddle que não são catalogados pelo PAS, eles são os seguintes:

  • Single Paradiddle Invertido: consiste no Single Paraddidle, porém começando de trás para frente. Ex: DDED EEDE.
  • Single Paradiddle Inward: consiste no Single Paradiddle, porém começando do segundo toque do rudimento. Ex: DEED EDDE.
  • Single Paradiddle Outward: consiste no Single Paradiddle, porém começando do último toque do rudimento. Ex: DEDE EDED.




Os paraddidles devem ser praticados não apenas na caixa, mas também em todo set de bateria.

Como todos os rudimentos, os paraddidles devem ser praticados lentamente para gradativamente acelerar. Só deve ser tocado mais rápido quando o praticante estiver executando o rudimento confortavelmente na velocidade lenta. É aconselhado a prática dos rudimentos com o metrônomo.

Bons estudos, até a próxima!

eu

– RUDIMENTOS –

Buzz Roll

Single Stroke Roll

Double Stroke Roll

Paradiddle

 

Opinião: Rudimentos, porque estudá-los? Quais deles estudar com mais frequência?

Olá para todos os entusiastas do blog musical CAVERNADOLENHADOR.

brincalhões

Para entendermos realmente o porquê de estudar os rudimentos devemos perguntar qual é o seu conceito. Nos dicionários está escrito que a palavra rudimento quer dizer:  Elemento básico; coisa em estado primitivo, rudimentar: rudimentos de um projeto. É possível observar que um rudimento remete à algo básico, rudimentar, fundamental para o desenvolvimento de algo mais apurado. Explicando seu significado já sabemos o porquê de estudá-los.

Contudo, deve-se ter em mente que o objetivo de praticá-los é para tornar o baterista apto à executar movimentos de forma controlada e precisa. Desta maneira, apenas o estudo dos rudimentos não basta, assim como, ignorá-los não é uma boa ideia. O pensamento de estudar a música como um todo deve ser levado em consideração, com a prática do solfejo, do improviso, dos rudimentos, das técnicas, da interdependência dos membros, da música em grupo, da imersão em diferentes gêneros musicais, do estudo da teoria, da acústica, etc. tudo isso deve ser entendido pelo músico como necessário para o objetivo do qual não é final, pois deve estar em constante busca: fazer música consciente, dominando o instrumento musical e aprimorando nossa percepção.

A Percussive Arts Society (PAS) catalogou 40 rudimentos básicos para estudarmos. Entretanto, na minha opinião, se analisarmos a fundo todos eles, restam poucos que realmente são necessários serem praticados com mais afinco. São eles:

  • Single Stroke Roll.
  • Double Stroke Roll.
  • Buzz Roll
  • Five Stroke Roll, Six Stroke Roll e Seven Stroke Roll
  • Single Paradiddle, com suas variações.
  • Paradiddle-Diddle.
  • Multiple Bounce Rudiments (Triple Stroke Roll e Multiple Bounce Roll).
  • Flam Accent, Flam Tap, Flamacue e Swiss Army Triplet.
  • Drag, Single Dragadiddle.

De 40 rudimentos passamos para uns 20, no máximo. Apenas estes rudimentos listados acima são necessários estudar com mais afinco, pois depois de aprendidos e internalizados, os outros rudimentos acabam se tornando fáceis de praticar, por serem apenas variações em cima do básico. Deixo claro que não estou afirmando que os outros rudimentos não devem ser praticados, pois eles definitivamente devem. O que estou constatando é que na minha opinião, embasada na minha experiência como baterista, os rudimentos que não citei não tem necessidade de serem praticados intensivamente.

Desejo-lhes bons estudos!


eu

– RUDIMENTOS –

Single Stroke Roll

Double Stroke Roll

Paradiddle